O NOME DO MEDO | RIO DE JANEIRO

De Instituto Odeon em 10 de março de 2017


O NOME DO MEDO-41

 

Em O nome do medo, Rivane Neuenschwander, operando nos interstícios da palavra e da imagem, disponibiliza seu instrumental poético para um mergulho na história e na experiência do outro – crianças reunidas em oficinas no Museu de Arte do Rio e na Escola de Artes Visuais. Tendo como elemento detonador o medo e a elaboração textual e visual de seus universos íntimos, essas crianças – com a reelaboração de todo o material pela artista – fazem emergir aos nossos olhos as funções renovadas e renovadoras da arte ao gerar meios individuais e coletivos de criação de aparatos de linguagem para a nomeação e reinvenção do mundo.

SERVIÇO
A exposição está em cartaz até o dia 16/07/2017 no Museu de Arte do Rio – MAR, cuja gestão é realizada pelo Instituto Odeon.
Museu de Arte do Rio
Praça Mauá, 5, Centro – CEP 20.081-240 – Rio de Janeiro/RJ
(21) 3031 2741
Horários de visitação: terça a domingo (incluindo feriado), de 10h às 18h (acesso até às 17h)
Ingressos: R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia)
Para mais informações, acesse o site do Museu de Arte do Rio – MAR.

LUGARES DO DELÍRIO

De Instituto Odeon em


img_0421_alta_0

 

Num momento de desafios cotidianos ao que outrora pode ter parecido uma ideia inquestionável de racionalidade – como nos episódios recentes de intolerância que têm produzido violências inadmissíveis em escala local e global –, o MAR inaugura seu programa de exposições de 2017 com uma mostra dedicada ao delírio, força criadora que concerne a todos em sua capacidade política de reposicionar a razão.

SERVIÇO
A exposição está em cartaz até o dia 18/06/2017 no Museu de Arte do Rio – MAR, cuja gestão é realizada pelo Instituto Odeon.
Museu de Arte do Rio
Praça Mauá, 5, Centro – CEP 20.081-240 – Rio de Janeiro/RJ
(21) 3031 2741
Horários de visitação: terça a domingo (incluindo feriado), de 10h às 18h (acesso até às 17h)
Ingressos: R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia)
Para mais informações, acesse o site do Museu de Arte do Rio – MAR.

5 anos de Instituto Odeon no MAR

De Instituto Odeon em 6 de fevereiro de 2017


Neste ano o Instituto Odeon completa 5 anos de gestão à frente do Museu de Arte do Rio – MAR. Até hoje foram mais de 1 milhão de visitantes, 45 exposições e várias metas atingidas.

Veja o vídeo comemorativo:

Vem pro MAR!

Seminário O Terceiro Setor na Gestão da Cultura

De Instituto Odeon em 13 de janeiro de 2017

Particpantes do Seminário “O Terceiro Setor na Gestão da Cultura"

No dia 26 de janeiro, aconteceu no Museu de Arte do Rio – MAR o seminário “O Terceiro Setor na Gestão da Cultura”. A conferência foi realizada pelo Instituto Odeon com o objetivo de debater a atuação das organizações sociais gestoras de projetos, instituições e outras iniciativas culturais do poder público. Na ocasião, foi lançada também a publicação “O Terceiro Setor na Gestão da Cultura – A perspectiva a partir do Museu de Arte do Rio“, organizada pelo Diretor Presidente do Instituto Odeon, Carlos Gradim. O livro traz ao público um relato de sua experiência durante os cinco anos à frente da gestão do MAR, a partir de discussões sobre gestão da cultura e o modelo de gestão por organizações sociais trazidas por autores convidados.
Para quem não teve a oportunidade de participar do seminário, o conteúdo gravado está disponível na página do Instituto Odeon. O livro “O Terceiro Setor na Gestão da Cultura: a perspectiva a partir do Museu de Arte do Rio” também pode ser acessado aqui.

 

O SEMINÁRIO

O início do evento foi marcado com as falas do Diretor Presidente do Instituto Odeon Carlos Gradim e da Secretária de Cultura da Cidade do Rio de Janeiro Nilcemar Nogueira.

Fala do Diretor Presidente do Instituto Odeon Carlos Gradim

Fala de abertura do Diretor Presidente do Instituto Odeon Carlos Gradim

Fala da Secretária de Cultura da cidade do Rio de Janeiro Nilcemar Nogueira

Fala da Secretária de Cultura da cidade do Rio de Janeiro Nilcemar Nogueira

O Seminário foi composto por três mesas, cada uma delas seguida pela apresentação de um case, a seguir:

 

  • Mesa 1 – Um Panorama sobre o modelo de parceria com o Estado

Mesa 1 – Um Panorama sobre o modelo de parceria com o Estado

Abordou o histórico e a evolução desse modelo de parceria entre a sociedade civil e o Estado, tratando dos aspectos positivos e negativos de sua aplicabilidade e efetividade. De maneira crítica, foi abordado se esse modelo de fato trouxe benefícios para a sociedade quando comparado a prestação direta pelo Estado; o que é possível fazer para expandir esse modelo de parceria para outros municípios/estados e quais são suas principais barreiras.

• Renata Motta (Coord. Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico – SEC-SP)
• Flavio Alcoforado (Doutor em Administração Pública e Governo pela EAESP/FGV)
• Beth Ponte (Diretora Geral Instituto de Ação Social pela Música – IASPM / Programa NEOJIBA
Mediador: Ana Carolina Lara (Diretora Executiva Instituto Odeon / Museu de Arte do Rio)

Case 1 – Museu do Café – Marilia Bonas (Diretora Executiva Instituto de Preservação e Difusão da História do Café e da Imigração / Museu do Café e Museu da Imigração)

 

  • Mesa 2 – Foco no Valor Público
Mesa 2 – Foco no Valor Público

 

O que é valor público? O que é valor público na Cultura? Foram as perguntas norteadores dessa mesa que também abordou qual o papel do Estado e da sociedade para defender e alavancar o que entendemos com valor público. O desafio de como tornar esse conceito tangível para que possamos medir esses resultados. Temas como transparência e compliance estiveram presentes.

• Silvia Finguerut (Coord.de projetos de cultura e urbanismo da FGV Projetos)
• Claudinéli Ramos (Coord. Unidade de Monitoramento e Avaliação SEC-SP)
• Humberto Falcão Martins (Diretor do Instituto Publix)

Mediador: Erich Castilhos (Assessor Jurídico da Diretoria Executiva Instituto Pensarte (SP))

Case 2 – Projeto Guri – Alessandra Fernandez Alves da Costa (Diretora Executiva Amigos do Guri / Projeto Guri)

 

  • Mesa 3 – Gestão e Sustentabilidade
Mesa 3 – Gestão e Sustentabilidade

 

Foram abordados os maiores desafios da gestão de equipamentos de cultura em parceria com o Estado. O que é e como buscar caminhos para a sustentabilidade e perenidade dos projetos? E como a parceria com a sociedade pode ampliar as possibilidades de formas de financiamentos contribuindo para a sustentabilidade de projetos culturais?

• Eleonora Santa Rosa (Diretora do Santa Rosa Bureau Cultural)
• Deca Farroco (Gerente de Projetos da Unidade de Patrimônio e Cultura na Fundação Roberto Marinho)
• Bruno Ramos Pereira (Sócio da Radar PPP )
Mediador: Pedro Paulo Gangemi (Gerente de Projetos do Sistema Fecomércio-RJ)

Case 3 – Orquestra Filarmônica de Minas Gerais – Diomar Silveira (Presidente Instituto Cultural Filarmônica / Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

 

Fiquem de olho no site do Instituto Odeon para participar das nossas programações!

Meu mundo teu – Alexandre Sequeira

De Instituto Odeon em 8 de dezembro de 2016


ale

 

Foi com uma pedrada que Alexandre Sequeira conheceu Jefferson Oliveira. O menino estava trepado numa árvore da Ilha do Combu, bairro da periferia de Belém, e não teve dúvidas quando viu o estranho se aproximar. Se a pedra atirada foi o pretexto que Alexandre precisava para estabelecer um diálogo com o garoto então desconhecido, por sua vez, a câmera fotográfica do artista foi o dispositivo que possivelmente fez com que fosse imediato o desejo de prolongamento dessa conversa por parte do menino. Mas o tal diálogo, ficamos sabendo, não era exatamente entre Jefferson e Alexandre, senão entre o garoto e Tayana Wanzeler – moradora do bairro Guamá, a muitos quilômetros de distância, na outra margem do rio –, a quem o artista conhecera anteriormente, durante uma oficina de desenhos. Alexandre e sua câmera eram os mensageiros e os mediadores da relação entre os dois adolescentes, que só viriam a se conhecer aproximadamente um ano depois da pedrada, quando já haviam trocado dezenas de cartas e criado imagens em conjunto, sobrepondo – e, assim, conjugando – a realidade de um na fantasia do outro. À vivência com Tayana e Jefferson, Alexandre Sequeira deu o nome de Meu mundo teu, expressão que aprendera com o garoto.

SERVIÇO
A exposição está em cartaz até o dia 26/2/2017 no Museu de Arte do Rio – MAR, cuja gestão é realizada pelo Instituto Odeon.
Museu de Arte do Rio
Praça Mauá, 5, Centro – CEP 20.081-240 – Rio de Janeiro/RJ
(21) 3031 2741
Horários de visitação: terça a domingo (incluindo feriado), de 10h às 18h (acesso até às 17h)
Ingressos: R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia)
Para mais informações, acesse o site do Museu de Arte do Rio – MAR.

Leopoldina, princesa da Independência, das artes e das ciências

De Instituto Odeon em 2 de setembro de 2016


Leopoldina

O Museu de Arte do Rio inaugura O Museu de Arte do Rio inaugura Leopoldina, princesa da Independência, das artes e das ciências. Para apresentar ao público a vida de uma das personalidades mais importantes no processo de emancipação do Brasil às vésperas da efeméride dos 200 anos de sua chegada ao Rio, em 5 de novembro de 1817, a exposição reúne aproximadamente 350 peças – entre obras de arte, iconografia, documentos, vestuário e mobiliário, além de itens de botânica, zoologia e mineralogia.

SERVIÇO
A exposição está em cartaz até o dia 26/03/2017 no Museu de Arte do Rio – MAR, cuja gestão é realizada pelo Instituto Odeon.
Museu de Arte do Rio
Praça Mauá, 5, Centro – CEP 20.081-240 – Rio de Janeiro/RJ
(21) 3031 2741
Horários de visitação: terça a domingo (incluindo feriado), de 10h às 18h (acesso até às 17h)
Ingressos: R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia)
Para mais informações, acesse o site do Museu de Arte do Rio – MAR.