Há mais de 10 anos o Estado de Pernambuco iniciou os investimentos em Turismo no intuito de expandir a indústria turística e contribuir para o desenvolvimento socioeconômico da região.

Como parte do Programa Nacional do Ministério de Turismo – PRODETUR, as ações estaduais consolidam o modelo de gestão turística cooperativa e descentralizada, avançando rumo a um desenvolvimento turístico que respeita tanto as especificidades regionais como também, a visão integrada do turismo no Brasil.

Dentre as ações do PRODETUR Nordeste, financiadas pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID estão às obras de edificações históricas como o Museu Histórico de Igarassu, Forte Santo Inácio de Tamandaré e do Paço Municipal de Goiana. Visando a melhoria da qualidade do produto turístico pernambucano e potencializando sua visitação, viu-se a necessidade de contratar a elaboração de um projeto de museologia e museografia.

A partir deste momento, o Instituto Odeon apresentou uma proposta de consultoria alinhada com o objetivo do PRODETUR em oferecer aos visitantes espaços de qualidade, acessíveis e que transmitam informações do contexto histórico, geográfico e cultural de cada equipamento. São previstas, a curadoria para cada um dos espaços, distintas salas de exposição, separadas em temáticas diversas e utilizando suportes audiovisuais variados.

Através desta parceria, o Instituto Odeon espera contribuir para a revalorização da oferta turística de Pernambuco e ainda, atingir a meta do PRODETUR no que se refere à melhoria das condições de vida do povo pernambucano, interiorizando as atividades turísticas e proporcionando às comunidades locais o incremento na renda, respeitando os preceitos do desenvolvimento sustentável.

Museu Histórico de Igarassu

O Museu Histórico foi fundado em 24 de janeiro de 1954 pelo Dr. José Eduardo da Silva Brito, então presidente do Instituto Histórico de Igarassu. Porém, em 1972, não tendo como manter o acervo, o Instituto Histórico doou para Prefeitura Municipal de Igarassu todo seu acervo e patrimônio que, atualmente, ocupa três casas do século XVIII. Com um valioso sítio histórico, o Museu possui também um Departamento de Pesquisa Histórica, responsável por documentos importantes da história da cidade.

Perante tamanha relevância deste equipamento de cultura para o Estado de Pernambuco, o PRODETUR propõe sua requalificação visando oferecer ao visitante uma experiência mais dinâmica, confortável e educativa. Para implementar esta nova concepção, em parceria com o Instituto Odeon, um novo plano de ação foi elaborado para atuar em três frentes para o Sítio Histórico de Igarassu: o estudo de viabilidade socioeconômica e de plano de gestão de ações integradas, para o desenvolvimento turístico do sítio histórico de Igarassu; a Reforma da Casa do Artesão e a requalificação do Museu Histórico de Igarassu.

Forte Santo Inácio de Tamandaré

O Forte se destaca como principal representante do patrimônio histórico de Tamandaré por ter em sua história passagens importantes da memória de nosso país. Em um primeiro momento, no Brasil Colônia com a chegada do europeu e a empresa colonial da extração de matéria prima e do cultivo da cana de açúcar, assim como a história da formação do povo brasileiro e de sua pátria, pela resistência ao invasor holandês e pela formação de uma das instituições mais antiga do país representada pela Marinha do Brasil.

Para requalificar o Forte Santo Inácio de Loyola e torna-lo um equipamento turístico de qualidade, com áreas de exposição e comércio, as obras em andamento resguardam a beleza do edifício histórico, mas trazem um caráter contemporâneo às novas intervenções.

Paço Municipal de Goiana

O Paço Municipal, que abrigou a Prefeitura Municipal de Goiana destaca-se na paisagem do centro urbano de Goiana. Nomeado “Heroínas de Tejucupapo” em homenagem as mulheres guerreiras do feito no movimento de expulsão dos holandeses ocorrido em 1646, após ser erguido, passou por algumas modificações e reformas até chegar a forma atual. Sua construção, inicialmente, era destinada a Casa de Câmara e Cadeia da cidade.

Levando em consideração os elementos arquitetônicos, o traçado urbano e os elementos que compõem e marcam a paisagem da cidade de Goiana, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), decretou o tombamento do Paço de Goiana e todo o seu entorno, com o intuito de preservar o patrimônio, a história e a memória da cidade.

A reforma para este equipamento se tornar um local de interesse para a visitação turística já está em execução pelo PRODETUR. O Paço Municipal de Goiana deverá se tornar um espaço de difusão e valorização cultural. O Térreo constituirá o Centro Cultural, espaço expositivo que mostrará a história da formação da cidade e do povo de Goiana. Este ambiente será destinado também à Educação Patrimonial, visando a preservação da memória do lugar através da visitação de estudantes. A sala de exposição multimídia tem como objetivo ser um espaço interativo, visando a participação do usuário com a história a ser narrada. O espaço exterior do edifício contará com palco para apresentações artísticas e exposições temporárias.